domingo, 11 de julho de 2010

As Tartarugas Ninjas - Games mais famosos até o Playstation 2 - Parte 3 - Teenage Mutant Ninja Turtles II: The Arcade Game

O segundo jogo das Tartarugas Ninjas para o Nes, Teenage Mutant Ninja Turtles II: The Arcade Game, possui também uma versão para o Arcade( Na verdade, esta veio primeiro) e para outras platarformas como PC, X-Box e até Play 2. O jogo nos fliperamas fez muito sucesso pois, apesar da história tosca, trazia gráficos além da imaginação da época disponível em qualquer lugar de jogos. Era mais parecido com a versão animada. Primeiramente falarei desta versão para depois tratar da do Nes.
Teenage Mutant Ninja Turtles The Arcade Game( foto abaixo à direita e sem II aqui) trazia inovações comparadas ao primeiro jogo do Nes. Primeiramente era um jogo beat-'em-up, conforme citado anteriormente, onde você ''só'' tem de derrotar os soldados foot e outros inimigos como os Mousers até chegar no chefão e vencê-lo para ir à próxima fase. Uma ótima animação de abertura. O que mais chamava a atenção era, sem dúvida, que quatro jogadores distintos podiam controlar cada uma das quatro tartarugas ao mesmo tempo. Era legal juntar três amigos e sair na porrada. Outra coisa era usar o cenário a seu favor arrancando postes com um golpe na direção de um soldado, disparar a tampa de um hidrante neles ou contra-arremessar as tampas de bueiros atiradas contra você por soldados que apareciam do esgoto. ( Curiosidade: No desenho de 1987, esses métodos eram mais utilizados pelos discípulos de Splinter que a porrada) Outra coisa era arremessar os inimigos contra as paredes para eles deslizarem nela até chegar ao chão e explodir. Os comandos eram basicamente golpear e pular mas com inovações. Você podia dar voadoras pulando e golpeando na direção do adversário e aplicar especiais apertando os dois botões ao mesmo tempo. Os especiais eram os mesmos para todas, exceto Raphael que dava uma senhora rasteira. Os outros apenas golpeavam com mais força( fatal para soldados foots). Porém nem tudo eram flores. Aplicar especiais custavam pontos de vidas sua. Aquela história de entrar e sair dos bueiros não existem mais. Você se machuca ao cair neles( devem ser mais fundos hehe) a menos quando derrota Bebop. As lutas são bem duras, sendo que se você só golpear os soldados, eles conseguem golpeá-lo também então o jeito era apelar sempre às voadoras. A história é a seguinte: O Destruidor está de volta e agora conta com a ajuda do alienígena Krang. Ele ataca o prédio onde April trabalha e a sequestra no fim da 1ª fase. Você enfrenta Rocksteady( Agora sempre o primeiro chefe em todos os jogos), Bebop, Baxter, Lieutenant Granitor, General Kraag, Krang e Destruidor. Após salvá-la Splinter é sequestrado e cawabunga de novo, você tem de salvá-lo, invadir a base dos vilões, derrotá-los e novamente salvar o dia.

A versão do Nes trazia desvantagens comparada à do Arcade. Para começar o jogo era só de 1 ou 2 jogadores. Os gráficos eram inferiores( abaixo), os inimigos não se chocavam contra as paredes. Se no Arcade você usava fichas para manter ou trocar sua tartaruga ao ser derrotado, aqui a tartaruga escolhida é que nem casamento, mas sério, não pode trocar sem ter que começar o jogo de novo. Claro que há limites de créditos para isso. Para compensar, a Ultra, produtora desta versão, trazia duas fases a mais com dois chefões a mais, Tora e Shogun Warrior.  
Outra diferença é o chefe que você enfrenta na hora de salvar April. No arcade você enfrentava Bebop e Rocksteady de novo, mas juntos( Quem gostava do desenho devia adorar o ataque deles onde eles atingiam um ao outro independente da tartaruga desviar ou não), no console você enfrentava Baxter em sua forma de mosca. E o ataque especial de Raphael era igual ao de seus irmãos. Quando você termina o jogo você já vê que o Destruidor não está vencido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário